Autor: Odo Reginatto

Não sou grande expert em redes sociais, mas tendo em vista a quantidade de convites que tenho recebido no meu Linkedin, resolvi escrever para orientar algumas pessoas que estão entrando na rede sem nem ao menos procurar saber para que ela serve e se de fato vai agregar algo para elas.

Pessoalmente gosto muito do Linkedin e trato meu canal como um currículo online. Nele tenho um resumo de todas minhas experiências profissionais, alguns depoimentos de colegas e clientes com quem já trabalhei, e também a descrição de minha formação acadêmica. Não utilizo o Linkedin para fazer amigos e sim para manter contatos profissionais e buscar networking, afinal, este é o grande diferencial da rede: o fato de você poder se conectar com profissionais e empresas que sejam de fato relevantes para você e sua carreira.

21.jul.14
Por Odo Reginatto
Categorias: Cultura

Se tem uma coisa que gostamos de fazer (além do nosso trabalho, é claro) é contar nossa história. Não que achemos que seja uma história de quem já venceu na vida e pode descansar encima de um legado de 10 anos, mas sim porque achamos que compartilhar o que aprendemos até aqui pode ser útil para quem está começando agora e não quer cometer os mesmos erros que cometemos.

Não é fácil começar uma empresa quando se tem tão pouca idade (e conhecimento empresarial) quanto tínhamos, mas todas as experiências serviram para que pudéssemos entender melhor nosso negócio, definir um foco específico e termos uma empresa de fato, que se consolida ao passo que estamos entrando em nosso décimo ano (caraca, é muito tempo!).

05.jul.13
Por Odo Reginatto
Categorias: Cultura

Olá pessoal.

Não, este não sou eu!

Não é muito comum eu escrever textos para o blog, mas tendo em vista os últimos acontecimentos e algumas percepções que passei a ter em relação ao meu trabalho, achei interessante compartilhar algumas ideias e experiências que tenho buscado para minha vida profissional. Espero que gostem, ou não.

Quero começar explicando a diferença entre Workaholic e Worklover, com um trecho do texto do Willian Binder para o site de finanças Dinheirama. Seguem as definições do autor:

Workaholic

  • O trabalho é fonte de pressão e stress
  • Queixa-se do trabalho no fim de semana
  • Não consegue ficar longe do trabalho
  • Sente-se inseguro
  • Busca atender expectativas dos outros
  • Tem que trabalhar muito pra demonstrar capacidade

Ser workaholic é determinado por fatores ligados à insegurança e por pressões externas.

Worklover

  • Trabalho é fonte de satisfação
  • Pensa sobre trabalho e expectativas no fim de semana
  • Consegue se afastar do trabalho, apesar de que qualquer situação leva a pensar em oportunidades para ele
  • Busca realizações
  • Tem que melhorar sempre para atender suas próprias expectativas

Ser worklover é determinado por escolhas pessoais e por pressões internas.

21.ago.12
Por Odo Reginatto
Categorias: Cultura

Estou no meio acadêmico desde 2003, e nesses dez anos já fiz inúmeras apresentações de trabalhos, artigos e projetos. Também presenciei dezenas de outras e tive a honra de avaliar algumas delas.

Aprendi muito montando e fazendo apresentações, e depois de alguns convites, me senti à vontade para montar um material para falar a respeito deste assunto.

“Técnicas para uma apresentação de alto impacto” é um material bastante didático, com foco na organização das ideias principais (planejamento) e na prevenção dos pequenos erros que muitas vezes acabam comprometendo todo um trabalho na hora da apresentação. Também conta com algumas dicas para finalizar a apresentação mantendo o interesse do público. Ele foi desenvolvido inicialmente para uma turma de Design e Engenharia de Produção da Ulbra Carazinho, mas as dicas servem para qualquer tipo de apresentação, seja ela acadêmica ou profissional.